Seis mortos em explosão e queda de dois edifícios

Pelo menos seis pessoas morreram e várias continuam desaparecidas após uma explosão, provocada por uma fuga de gás, ter feito desabar dois edifícios, ontem, em Nova Iorque.

Pelas 23:30 desta quarta feira as autoridades confirmavam a existência de três mortos e de 63 feridos, que deram entrada em quatros hospitais nova-iorquinos. Hoje de manhã, a France Press falava em cinco mortos mas a BBC garantia serem pelo menos seis as vítimas mortais do acidente.

O mayor de Nova Iorque, Bill de Blasio, confirmou que foi uma fuga de gás que provocou a explosão que fez desabar dois edifícios no Harlem. O presidente da câmara de Nova Iorque admitiu que havia ainda vários desaparecidos, e prometeu que "todos os esforços serão realizados para encontrar cada uma dessas pessoas!".

Bill de Blasio confirmou que foi uma fuga de gás que causou a explosão e que 15 minutos antes tinha sido dado o alerta para a empresa que gere o gás naquela zona da cidade, no Harlem. No entanto, a equipa que se dirigiu para o local acabou por chegar apenas após a explosão.

Pouco depois da explosão os bombeiros de Nova Iorque - mais de duas centenas de operacionais foram para o local - confirmaram através do Twitter que um edifício ruiu em Harlem, bairro de Nova Iorque, por volta da 9.30 (menos quatro horas que em Portugal). Afinal era dois, um deles tinha uma loja de reparação de pianos e apartamentos e outro tinha uma igreja. Parte do serviço de comboios foi suspenso devido a queda de destroços na linha.

Muitas testemunhas começaram desde logo a alertar para o cheiro a gás antes da explosão, algumas garantem que começou durante a noite. Foi ouvida pelo menos uma explosão e as testemunhas salientam que se instalou o pânico com muitas pessoas a tentarem fugir do local.

O fumo do incêndio é visível a vários quilómetros e a polícia está a distribuir máscaras de proteção a quem está nas ruas mais próximas ao desabamento.

Um responsável da Con Edison, empresa que fornece o gás, afirmou à Fox5 que receberam uma chamada de alerta de gás às 9.13 e que dois minutos depois foi enviada uma equipa, que chegou ao local pouco depois da explosão.

A Cruz Vermelha organizou um abrigo para os habitantes que foram retirados dos prédios próximos dos dois que desabaram.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG