Protestos na Venezuela já fizeram 17 mortos

A procuradora-geral venezuelana, Luisa Ortega Diaz, informou que a violência nos protestos que começaram a 4 de fevereiro no país já custou a vida a 17 pessoas. Há ainda 261 feridos a registar.

"O ministério público não vai permitir, sob nenhum pretexto, que sejam violados os direitos humanos", afirmou, precisando que a justiça já abriu 27 inquéritos em relação a denúncias de alegadas violações dos direitos humanos.

A oposição fala em repressão das manifestações, quer por parte das forças de segurança, quer por grupos armados não identificados. "Vamos não só investigar as violações dos direitos humanso, mas também investigaremos as mortes de venezuelanos às mãos de venezuelanos", explicou aos jornalistas.

O anterior balanço oficial era de 14 mortos, dos quais oito a tiro. Segundo o Governo, a violência nos protestos chega a 18 dos 335 municípios da Venezuela.

Uma das vítimas, de acordo com Luisa Ortega Diaz, morreu depois de ser atingida a tiro quando desmontava uma barricada e limpava a rua, no estado de Carabobo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG