Obama cada vez mais próximo da vitória

A vantagem nas sondagens dos estados mais disputados na campanha eleitoral norte-americana, como Ohio e Colorado, deixam Barack Obama perto da vitória das eleições de 6 de novembro e obrigam os republicanos a uma investida final em território tradicionalmente democrata.

Na reta final da campanha, e com Obama e o seu adversário Mitt Romney concentrados em ações de campanha nos estados conhecidos como "campo de batalha", o presidente democrata está à frente nas sondagens em cinco destes oito Estados - Nevada, Colorado, Iowa, Wisconsin e Ohio.

Estes dois últimos são importantes para a vitória a 6 de novembro, uma vez que representam 28 votos eleitorais (10 no Wisconsin e 18 no Ohio), quando cada candidato precisa de uma maioria de 270 dos 538 votos do Colégio Eleitoral que elege formalmente o Presidente.

Também segundo uma média das principais sondagens elaborada pelo site Real Clear Politics, que dá um empate técnico a nível nacional entre os dois candidatos, Romney está à frente na Florida (29 votos), Carolina do Norte (15 votos) e Virgínia (13 votos).

Dando uma vitória estadual a totalidade dos votos de cada Estado, Romney obteria mais votos (57) do que Obama (53) nestes oito "campos de batalha", a confirmarem-se as tendências.

Contudo, Obama conquistaria a Presidência, uma vez que tem assegurados 237 votos de estados solidamente democratas e Romney 191 dos solidamente republicanos, bastando-lhe 33 votos para conseguir chegar ao "número mágico" de 270.

A diferença na média de sondagens é inferior a 1 por cento, em estados como o New Hampshire, Colorado e Virgínia, e muito será ali jogado nos próximos dias, em particular nos dois últimos, que em conjunto representam 22 votos.

"Ambos os lados estão nervosos, mas os republicanos estão mais nervosos. Não acham particularmente encorajador que Romney estivesse quinta-feira na Florida e na Virgínia, dois estados que gostariam de ter `arrumado" nesta altura", escreveu o jornalista Mike Allen sexta-feira na sua "mailing list" política Playbook.

Para o comentador político Joe Scarborough, da NBC, a liderança confortável de Obama no Ohio é crucial, obrigando Romney a conquistar pelo menos seis outros estados para chegar à vitória, e levando-o a batalhar pelo o Midwest democrata, onde a vantagem de Obama tem vindo a encurtar-se.

"Boston [sede de campanha de Romney] deve saber agora que ganhar a Casa Branca depende de o seu candidato roubar o Michigan, Minnesota ou Pensilvânia. O investimento deles naqueles três estados do Midwest parece dever-se mais à fraqueza do que à força", escreveu no seu blogue no site Político.

No Michigan, por exemplo, Romney encurtou nas últimas semanas a vantagem de Obama para cerca de 3 pontos, com 3,8 por cento dos eleitores a declararem-se ainda indecisos, segundo uma sondagem Detroit News/WDIV Local 4.

Os "Super PAC", grupos de que trabalham de forma independente das campanhas, que estão a apoiar Romney, compraram na semana passada espaço publicitário em massa nas televisões do Michigan, Minnesota e Pensilvânia, segundo noticiou o diário Washington Post.

Hoje, Mitt Romney estará em campanha na Pensilvânia, Estado solidamente democrata nas eleições dos últimos 20 anos, e o seu candidato a vice-presidente, Paul Ryan, no Minnesota.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG