Juiz ordena divulgação de vídeos de alimentação forçada

Um juiz federal de Washington ordenou na sexta-feira a divulgação de 28 vídeos classificados que mostram o procedimento de alimentação forçada em Guantánamo, apesar da oposição do governo norte-americano.

Dois dias antes de uma audiência-chave no processo sobre alimentação forçada, através de sondas, dos prisioneiros de Guatánamo em greve de fome, a juíza Gladys Kessler decidiu a favor de 16 órgãos de comunicação social que exigiam a divulgação dos 28 vídeos.

Estes vídeos mostram o sírio Abou Dhiab a ser algemado e conduzido à zona de alimentação forçada, onde lhe são introduzidas sondas pelo nariz e alimentado à força, segundo explicou à AFP um dos advogados que visionou as imagens.

Abou Dhiab, um sírio preso sem acusação ou julgamento desde 2002, apresentou uma queixa e exigiu o fim da alimentação forçada, que julga desumana. O julgamento deverá avançar esta segunda-feira.

A juíza deu razão aos 16 órgãos de comunicação social que exigiam ter acesso às imagens, contrariando assim o governo de Barack Obama que considerava que a divulgação dos vídeos poderia prejudicar a segurança nacional.

Mais Notícias