EUA acusam cinco chineses de ciberespionagem

Os Estados Unidos acusaram hoje formalmente cinco oficiais do exército chinês de alegadas atividades de ciberespionagem contra seis empresas privadas norte-americanas, anunciou o secretário de Estado norte-americano da Justiça, Eric Holder.

Segundo o Departamento de Justiça norte-americano, os cinco oficiais do Exército Popular de Libertação da China terão alegadamente roubado informações confidenciais de companhias norte-americanas do setor do aço para benefício de empresas estatais chinesas.

As acusações criminais referem que piratas informáticos ('hackers') entraram em sistemas de computadores norte-americanos para conseguir informações e vantagens competitivas, atingindo empresas como a Westinghouse e a US Steel Corp., bem como os respetivos trabalhadores.

Em conferência de imprensa, Eric Holder salientou que estas acusações são as primeiras deste tipo contra figuras estatais e devem servir como "um alerta".

"Esta administração [norte-americana] não irá tolerar ações de nenhuma nação que procure sabotar ilegalmente empresas norte-americanas e comprometer a integridade de uma concorrência leal no funcionamento do mercado livre", afirmou o secretário de Estado norte-americano da Justiça, em declarações aos jornalistas em Washington.

"A acusação deixa claro que os atores estatais envolvidos em espionagem económica, mesmo através da Internet a partir de escritórios distantes em Xangai, serão expostos pela sua conduta criminosa e procurados para detenção e julgamento num tribunal norte-americano", reforçou.

As acusações, que são o culminar de vários anos de investigação, segundo as autoridades norte-americanas, foram apresentadas contra cinco oficiais chineses identificados como Wang Dong, Sun Kailiang, Wen Xinyu, Huang Zhenyu e Gu Chunhui.

Mais Notícias