Estados Unidos insistem numa recontagem de votos

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, insistiu hoje numa recontagem de votos na Venezuela e disse que os Estados Unidos ainda não estão em condições de reconhecer Nicolás Maduro como presidente eleito.

"Pensamos que deve haver uma recontagem dos votos", afirmou Kerry que se pronunciou pela primeira vez sobre as eleições venezuelanas, numa audiência no Congresso.

Kerry disse que se se comprovar que existiram "grandes irregularidades" no processo eleitoral, como denuncia a oposição, os Estados Unidos terão "sérias dúvidas quanto à viabilidade deste governo".

O chefe da diplomacia norte-americana considerou "muito duvidoso" que os Estados Unidos enviem uma delegação à tomada de posse do Maduro, prevista para sexta-feira, devido às "circunstâncias discutíveis" em que ocorre.

Kerry disse que "inicialmente Maduro disse que apoiava a ideia da recontagem" e mais tarde o Conselho Nacional Eleitoral decidiu proclamá-lo vencedor.

"Outros países e a OEA (Organização de Estados Americanos) também pediram a recontagem, veremos o que vai acontecer", afirmou.

Maduro teve uma vantagem de 272.865 votos em relação ao candidato da oposição, Henrique Capriles, nas eleições de domingo, registando 50,78 por cento dos votos contra 48,95 do seu adversário.

As presidenciais venezuelanas tiveram lugar um mês após a morte de Hugo Chávez, que tinha apontado Maduro como seu sucessor.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG