Bolívia: desculpas espanholas são "avanço importante"

O ministro bolviano do Interior, Carlos Romero, considerou hoje "um avanço importante" que o ministro dos Assuntos Exteriores espanhol tenha pedido desculpas por qualquer mal entendido relacionado com o incidente ocorrido com o avião do Presidente boliviano, Evo Morales.

Numa entrevista à agência noticiosa Efe, Romero valorizou a vontade expressada por José Manuel García-Margallo de pedir desculpas a Morales caso tenha havido "algum mal entendido" relacionado com a sua retenção em Viena, mas sublinhou que a Bolívia continua descontente com a recusa do ministro espanhol em explicar se fez ou recebeu telefonemas para os Estados Unidos no dia do incidente.

"Parece-nos um avanço importante, porque num primeiro momento não víamos sequer uma abertura para clarificar o que tinha sucedido", afirmou Romero.

No passado dia 02 de junho, vários países europeus, incluindo Portugal, encerraram o seu espaço aéreo, fazendo com que o avião do chefe de Estado boliviano estivesse retido treze horas no aeroporto de Viena, devido a informações falsas segundo as quais o ex-consultor da Agência de Segurança Nacional norte-americana, Edward Snowden, seguia a bordo.

A situação vivida por Morales provocou uma crise diplomática entre a Europa e a América Latina, onde os países cerraram fileiras em torno de Morales e condenaram o sucedido.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Paulo Portas, foi hoje ao Parlamento dar explicações sobre o caso e garantiu que o Governo português autorizou "atempadamente" o sobrevoo em território nacional do Presidente da Bolívia e não colocou em risco a vida de Evo Morales e da sua comitiva.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, recebeu hoje o embaixador da Bolívia, classificando o incidente com o avião de Morales como "infeliz".

"O secretário-geral reiterou que entende as preocupações que lhe foram transmitidas devido a este infeliz incidente", disse um porta-voz da ONU.

Ban Ki-Moon disse estar "aliviado" porque o que aconteceu com o avião de Morales não teve consequências para a segurança do Presidente boliviano e sublinhou que é importante evitar este tipo de incidentes no futuro.

Mais Notícias