Autor de vídeo 'Kony 2012' fica hospitalizado

Vídeo foi um tremendo sucesso no YouTube e nele se denuncia a atuação do líder de um grupo de guerrilha ugandês, conhecido por utilizar crianças como soldados.

O cineasta e ativista norte-americano responsável pelo vídeo sobre o ugandês Joseph Kony, procurado por crimes de guerra, vai ficar hospitalizado "várias semanas" devido a um "transtorno psicótico temporário" provocado pelo súbito mediatismo, divulgou hoje a família.

Jason Russell, de 33 anos, foi detido e hospitalizado na semana passada em San Diego, quando foi encontrado nu a vaguear na rua, com um comportamento incoerente.

O realizador, fundador da ONG Invisible Children, foi o responsável pela criação de um vídeo de 30 minutos, divulgado na Internet no início de março, que denunciava a atuação do líder do Exército de Resistência do Senhor (LRA) Joseph Kony, procurado por crimes de guerra e contra a humanidade.

Colocado online, o vídeo acabou por ser um fenómeno com vários milhões de visualizações e integra uma campanha chamada "Kony 2012", emque se pede uma intervenção militar norte-americana para deter Joseph Kony.

Recentemente, Jason Russell foi entrevistado por vários órgãos de comunicação social americanos, onde defendeu o controverso documento.

Segundo um primeiro diagnóstico, Russell é vítima de um "transtorno psicótico temporário", uma patologia caracterizada pelo aparecimento de sintomas psicóticos súbitos após uma situação grave de 'stress'.

Em pouco mais de duas semanas, cerca de 84 milhões de pessoas viram o vídeo no YouTube, algumas felicitaram a iniciativa, enquanto outras criticaram o documentário, considerado excessivamente simplista.

O LRA não está atualmente ativo no Uganda e Joseph Kony, em paradeiro desconhecido, é procurado pelo Tribunal Penal Internacional.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG