Este é o mais grave acidente de avião na União Europeia desde 2008

Queda do voo 4U 9525 da Germanwings, com 150 pessoas a bordo, foi o segundo pior acidente aéreo em França desde o acidente com o Concorde em julho de 2000. E o pior em espaço da União Europeia desde a queda do avião da Spanair em agosto de 2008.

O acidente de hoje com um Airbus A 320 da Germanwings, uma low-cost da alemã Lufthansa, terá provocado a morte dos 144 passageiros e dos seis tripulantes a bordo do aparelho. O voo 4U 925 despenhou-se na zona de Digne-les-Bains, no sul de França, a região dos Alpes franceses. O avião fazia a ligação entre Barcelona (Espanha) e Düsseldorf (Alemanha).

Trata-se do pior acidente aéreo em solo francês desde 25 de julho de 2000, quando 113 pessoas perderam a vida a bordo do Concorde, que operava o voo 4590 da Air France, que caiu em Gonesse, um minuto e 28 segundos depois de descolar ao aeroporto de Roissy com destino a Nova Iorque. Entre as vítimas estiveram 100 passageiros, nove tripulantes e quatro pessoas que se encontravam no hotel sobre o qual o aparelho se despenhou.

Depois disso, o pior acidente em solo da União Europeia com um avião comercial deu-se a 20 de agosto de 2008, quando o voo 5022 da Spanair, um McDonnel Douglas MD-82, caiu pouco depois de descolar do aeroporto de Barajas, em Madrid, com destino às Canárias. 154 pessoas morreram. Apenas 18 das 172 que seguiam a bordo conseguiram sobreviver.

Entre um acidente e outro, morreram, em solo da União Europeia, mais propriamente no noroeste de Atenas, na Grécia, os 121 ocupantes de um Boeing 737 da companhia aérea cipriota Helios.

Fora do espaço da União Europeia, mais no continente europeu ou fora dele, os piores incidentes registados com aviões comerciais no ano passado foram:

- o desaparecimento, a 14 de março de 2014, do Boeing 777-2000 da Malaysia Airlines, voo MH370, com 239 pessoas a bordo, quando ligada Kuala Lumpur (na Malásia) a Pequim (na China)

- a queda, em pleno conflito no leste da Ucrânia, de um aparelho semelhante, da mesma companhia, o voo MH17, que a 17 de julho de 2014 matou 298 pessoas

- a queda, a 24 de julho de 2014, na Argélia, do voo AH5017 da Air Argélia, um McDonnell Douglas MD-83 que transportava 118 pessoas. O voo era operado pela Swiftair

- o acidente com Airbus A-320 da low-cost Air Asia, a 28 de dezembro de 2014, quando fazia a ligação entre a Indonésia e Singapura. No voo QZ8501 seguiam 162 pessoas. Não houve sobreviventes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG