Díaz governará sozinha. Líder do PSOE faz sua a vitória andaluza

Líder andaluz promete resistir ao apelo da política nacional. Pedro Sánchez evita falar em primárias para as legislativas e PP, de Rajoy, dividido sobre mau resultado de domingo.

Após a vitória socialista do passado domingo na Andaluzia, ontem foi dia de reflexão na sede nacional de todos os partidos espanhóis. Cada um fez a sua interpretação dos resultados enquanto se tentava perceber com quem ia governar a vencedora Susana Díaz. Mas a presidente andaluza esclareceu cedo as dúvidas afirmando que não pretende fazer acordos. "Vou governar sozinha pois tenho a estabilidade que não tinha antes".

O PSOE manteve os 47 deputados que tinha anteriormente no parlamento da Andaluzia, ficando a oito da maioria absoluta. Na anterior legislatura governou sem ser o partido mais votado (que foi o PP), aliado com a Esquerda Unida (IU). Segundo lembrou Díaz, estava sujeita permanentemente às decisões do seu parceiro mas agora os andaluzes "falaram claro" nas urnas "e há uma amplia maioria do PSOE". A sua análise está certa porque nas anteriores eleições de 2012 o PP teve 50 deputados e agora passou a ser a segunda força política com uma grande diferença entre os dois. E é preciso retroceder até 1990 para encontrar uns resultados piores do PP na Andaluzia.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG