Da Primark à BP: estes 100 empresários apoiam Cameron

Conservadores do primeiro-ministro agradeceram "apoio sem precedentes". Trabalhistas de Ed Miliband denunciaram "maquinação" para ganhar votos nas eleições de 7 de maio.

Para os conservadores, a carta assinada por uma centena de empresários e ontem publicada no Telegraph é um apoio "sem precedentes" ao partido do primeiro-ministro David Cameron. Para os trabalhistas de Ed Miliband, não passa de uma "maquinação" dos Tories para ganhar votos nas eleições britânicas de 7 de maio. Além de "não ser surpresa para ninguém" que os donos de empresas apoiem os cortes nos impostos que têm de pagar.

George Weston, CEO da Associated British Foods, dona da Primark, Bob Dudley, CEO da petrolífera BP ou Tidjane Thiam, CEO da seguradora Prudential, são alguns dos 103 nomes que assinam a carta no Telegraph, alguns com ligações históricas ao Labour. Os empresários que, juntos, empregam meio milhão de pessoas no Reino Unido, garantem que um governo Labour "ameaçaria empregos e travaria o investimento". Os signatários saudaram ainda a decisão de Cameron e do ministro das Finanças, George Osborne, de cortar o imposto sobre as empresas. Este baixou ontem de 21% para 20%, mas em 2010, quando o governo tomou posse, era de 28%.

A carta surge um dia depois de Osborne ter relevado dados oficiais que mostram que entre outubro e dezembro a economia britânica criou mais de 103 mil postos de trabalho e o nível de emprego está nos 73,2%. O crescimento do PIB em 2014 também foi revisto em alta, para 2,8%.

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN

Mais Notícias