'Réveillon' atrai dois milhões à praia de Copacabana

A tradicional festa de fim de ano do Rio de Janeiro espera atrair mais de dois milhões de pessoas para os areais de Copacabana, com uma homenagem à escolha da cidade como património cultural da humanidade pela Unesco.

A conquista do título - o primeiro conferido a uma paisagem urbana - será usado como "mais um motivo para o Rio sorrir", lema do evento, que pretende estimular ainda mais o otimismo entre os cariocas.

A grande novidade do ano fica por conta de um espetáculo de luzes, que serão projetadas no céu a partir de balsas situadas no mar de Copacabana, de onde também são lançados os fogos de artifício, segundo avançaram os organizadores.

As luzes serão alternadas com o 'show' pirotécnico, de forma a criar um contraste e complemento às cores dos fogos. Todo o espetáculo ocorre em sincronia com a banda sonora que mesclará música popular brasileira (MPB) com música de orquestra.

O espetáculo promete ainda um efeito novo, batizado de "Sino de Vento", no qual milhares de confetes brilhantes e flutuantes serão reproduzidos como se caíssem do céu.

Ao todo, serão 11 balsas, cada uma com 2.300 bombas, num total de 24 toneladas de fogos de artifício a serem disparados num espetáculo de 16 minutos.

Ao longo da orla de Copacabana - cerca de 4,5 quilómetros de cumprimento - haverá quatro palcos com programação ininterrupta e apresentações de artistas como Cláudia Leitte, Diogo Nogueira e Baby do Brasil.

O 'réveillon' do Rio de Janeiro é uma das festas mais tradicionais da cidade e figura como a maior celebração a céu aberto no mundo.

Do total de dois milhões de pessoas aguardadas, 752 mil devem ser turistas, segundo estimativas da Secretaria de Turismo.

A festa é promovida pela Prefeitura do Rio de Janeiro, através da RioTur, e produzida pela empresa SRCOM, que possui entre os sócios o cenógrafo português radicado no Brasil Abel Gomes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG