Presos têm agentes e familiares como reféns há 20 horas

Cerca de 470 detidos mantêm há mais de 20 horas pelo menos dois agentes penitenciários e 93 familiares reféns na penitenciária de Sergipe, segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado brasileiro.

O motim no Complexo Penitenciário Advogado Antônio Jacinto Filho, que fica em Aracaju, capital do estado, começou por volta das 14:00 de domingo (18:00 em Lisboa), durante o horário de visitas.

Os prisioneiros, armados com facas artesanais, fizeram reféns mais de 120 familiares e três agentes penitenciários. Na manhã de hoje, 27 parentes de presos e um agente penitenciário foram libertados. Segundo a imprensa local, o agente foi trocado por água.

De acordo com o jornal "O Estado de São Paulo", a rebelião é liderada por membros de uma fação criminosa. Os presos pegaram fogo em colchões, partiram janelas e móveis e agrediram agentes mantidos como reféns, segundo a Polícia Militar.

Ainda de acordo com a PM, citada pela imprensa local, os presos pedem a demissão do diretor da cadeia, melhoramentos na comida e o fim de supostas agressões praticadas por agentes penitenciários.

A negociação com representantes da PM e da Secretaria de Estado da Justiça ainda não chegou a um acordo.

As conversas estenderam-se desde a tarde de domingo até ao início da madrugada de hoje, e foram retomadas pela manhã. A Secretaria da Segurança Pública não divulgou o teor das reuniões.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG