PM guineense propõe novo líder das Forças Armadas

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau anunciou que o governo já entregou ao Presidente da República uma proposta sobre quem deve ser o novo Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA).

O anúncio foi feito por Domingos Simões Pereira no final de uma reunião do conselho de ministros que se iniciou ainda durante a tarde de terça-feira em Bissau e só terminou pelas 23:45 (00:45 de hoje em Lisboa) - altura em que o nome proposto foi entregue no Palácio da Presidência.

O líder do governo escusou-se a referir qual a personalidade proposta, sublinhando que, "de acordo com a Constituição, cabe ao Presidente da República anunciar o nome".

Ainda segundo Domingos Simões Pereira, progressivamente e num processo normal, seguir-se-ão as restantes nomeações na hierarquia militar.

O chefe de Estado guineense, José Mário Vaz, exonerou na segunda-feira, general António Indjai, que tinha liderado o golpe de Estado de abril de 2012 e sobre o qual recai um mandado de captura da justiça norte-americana por alegado envolvimento em tráfico internacional de droga e armas.

No decreto de exoneração, a decisão é justificada com o fim do período de transição política, que se prolongou por dois anos após o golpe, terminando este ano com a eleição de órgãos de soberania.

O Presidente escusou-se a dar mais detalhes e desdobrou-se na terça-feira em encontros com o primeiro-ministro, parceiros internacionais e representantes diplomáticos na capital guineense.

Fontes militares disseram à agência Lusa que António Indjai manteve na terça-feira "uma breve reunião de despedida" com os seus colaboradores, em que exprimiu o desejo de que não haja perturbações decorrentes da decisão do presidente José Mário Vaz.

Mais Notícias