MP ainda não iniciou análise de acusações contra Lula

O Ministério Público Federal brasileiro anunciou hoje que ainda não iniciou a análise do depoimento do empresário Marcos Valério, que acusou o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva de envolvimento no escândalo de corrupção "mensalão".

O jornal "O Estado de São Paulo" noticiou hoje que o órgão federal tinha decidido investigar as acusações, e que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, iria remeter as acusações à primeira instância, já que o ex-Presidente já não tem imunidade.

"O Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério, pois aguardava o término do julgamento da AP [Ação Penal] 470 (mensalão). Esclarece ainda que somente após a análise poderá informar o que será feito com o material", diz um comunicado divulgado hoje pelo Ministério Público.

Valério, condenado a 40 anos de prisão por ser o operador do "mensalão", o esquema de compra de votos de parlamentares durante o Governo de Lula da Silva, afirmou que o ex-Presidente deu "aval" ao pagamento de bancos brasileiros para financiarem o crime.

O empresário também afirmou que Lula da Silva negociou diretamente com Miguel Horta e Costa, então presidente da Portugal Telecom, um pagamento da operadora portuguesa para o Partido dos Trabalhadores, segundo o depoimento divulgado em dezembro pelo diário brasileiro.

Na altura, Horta e Costa divulgou um comunicado em que recordou que já prestou todos os esclarecimentos à Justiça, na época em que lhe foi solicitado, e que o "mensalão" é um tema de política interna brasileira com o qual não tem nenhum envolvimento.

Lula da Silva considerou, por seu lado, as alegações de Marcos Valério como "mentirosas".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG