Advogados e bispos brasileiros discutem reinvindicações

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convocaram para esta segunda-feira, em Brasília, um ato público para discutir reivindicações que contemplem pedidos de manifestantes, como o combate à corrupção.

"Queremos dar concretude às justas reivindicações que ecoam nas ruas", afirmou, em nota, o presidente da OAB, Marcos Vinícius Furtado. Também participam da organização do ato diversos movimentos sociais, como o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

A intenção é conseguir o apoio de um milhão e meio de pessoas, para lançar um projeto de lei que prevê uma reforma política no país, assegure a liberdade de expressão na internet, a criação de comitês de controle social de gastos públicos, inclusive dos investimentos com o Mundial2014 e com o transporte público coletivo.

As entidades também pretendem discutir com as pessoas presentes sobre a ampliação do investimento em saúde e educação e sobre a criação de um Código de Defesa dos Usuários de Serviços Públicos.

Houve protestos pacíficos hoje em pelo menos quatro cidades, entre elas Rio de Janeiro e São Paulo.

Em Fortaleza, no Ceará, um grupo de centenas de manifestantes conseguiu bloquear na tarde de hoje (noite em Lisboa) a principal via de acesso ao estádio Arena Castelão, onde jogariam Nigéria e Espanha, pela Taça das Confederações.

Sem conseguirem aproximar-se do estádio, os manifestantes foram até a frente do aeroporto da cidade, e também fecharam a via de acesso ao local. Um carro de uma emissora de televisão local teve os pneus furados, mas não houve confronto com a polícia.

As cidades-sedes da Taça das Confederações têm sido alvos constantes de protestos em dias de jogos, como ocorreu em Belo Horizonte, em Minas Gerais, Natal, no Rio Grande do Norte, e Salvador, na Baía.

Neste sábado, manifestantes e a Polícia Militar (PM) entraram em confronto em Belo Horizonte, o que deixou pelo menos 19 pessoas feridas e 30 detidos. Houve registo de vandalismos.

O comandante da PM de Minas Gerais, coronel Marcio Sant' Ana, afirmou à imprensa brasileira que considera "certo" um novo confronto com manifestantes na próxima quarta-feira, quando as equipas de Brasil e Uruguai se enfrentam na cidade.

Os protestos começaram no início de junho em São Paulo, exclusivamente contra a subida das tarifas dos transportes públicos, mas estenderam-se a outras cidades no Brasil.

A intervenção policial motivou outras pessoas a protestarem pela paz e pelo direito de manifestação, bem como contra a corrupção e a falta de transparência.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG