China anula reunião ministerial com Noruega

A China tinha prevenido que veria com maus olhos a atribuição pelo Comité Nobel Norueguês do prémio da Paz a um dissidente chinês. O Comité Nobel é independente do governo norueguês.

Pequim anulou um encontro ministerial marcado para quarta-feira entre responsáveis chineses e noruegueses sobre pescas devido à atribuição do prémio Nobel da Paz ao dissidente chinês Liu Xiaobo, anunciou hoje a televisão norueguesa NRK.

Na "quarta-feira (a ministra da Pesca norueguesa) Lisbeth Berg-Hansen devia encontrar-se com o vice-ministro da Pesca chinês em Pequim. Mas os chineses anularam esta reunião, primeira medida de reacção oficial contra a Noruega depois da atribuição do prémio Nobel da Paz ao dissidente chinês Liu Xiaobo", afirmou a NRK, citando fontes da delegação norueguesa.

Desde a atribuição do prémio na sexta-feira ao dissidente chinês, o embaixador da Noruega em Pequim foi convocado pelas autoridades chinesas.

A ministra das Pescas norueguesa estava em Xangai hoje para visitar a exposição universal, sublinhou a televisão norueguesa.

Liu Xiaobo, preso desde 2009, recebeu na sexta-feira o prémio Nobel da paz atribuído pelo Comité Nobel Norueguês «pelos esforços duradouros e não violentos a favor dos direitos humanos na China".

Desde então, os pedidos para que seja libertado multiplicaram-se em todo o mundo. A mulher do dissidente foi colocada sob prisão domiciliária.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG