Singapura abriu um dos maiores bancos de cordão umbilical

Singapura abriu um dos maiores bancos privados de cordão umbilical da Ásia, com capacidade para albergar 650 mil amostras, as quais podem ser usadas para o tratamento de doenças congénitas, informou hoje a imprensa local.

O centro do Cordlife Group, que ocupa uma superfície total de 7.000 metros quadrados, conserva amostras do cordão umbilical, de modo a que as células estaminais possam ser usadas ao serviço da eventual cura de doenças como cancro ou Alzheimer.

"A nossa missão primordial é oferecer um serviço aos pais que queiram uma proteção para os seus filhos, por via do armazenamento de amostras do cordão umbilical", disse o presidente do Cordlife, Ho Choon Hou.

"O novo centro está equipado com a mais recente tecnologia de ponta, o que garante a saúde das famílias", realçou.

Segundo dados da empresa, 40 mil famílias contrataram os serviços do Cordlife, desde a abertura do primeiro centro na Cidade-Estado, com uma população estimada em cerca de cinco milhões de habitantes.

O armazenamento das amostras durante 21 anos custa 6.200 dólares de Singapura (3.800 euros).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG