Preso alemão que teve fuga "digna de filme" na Tailândia

Um cidadão alemão aproveitou o facto de os seus guardas australianos estarem a dormir para escapar por uma saída de emergência do aeroporto de Suvarnabhumi, em Banguecoque, informa hoje a imprensa local.

Carlo Konstantin Kohl, 25 anos, fugiu há cerca de duas semanas, quando fazia escala em Banguecoque, procedente da Austrália para a sua terra natal, mas as autoridades só tornaram o caso público dez dias mais tarde.

Os guardas australianos, identificados inicialmente, por erro, pela imprensa local como agentes da Interpol, só se aperceberam da fuga quando acordaram.

O avião da Thai Airways, que iria levar o detido e os guardas australianos que o acompanhavam até Frankfurt, deveria ter levantado voo às 23:00 do passado dia 15, mas acabou por ser atrasado até às 08:00 do dia seguinte, hiato que o detido aproveitou para se colocar em fuga.

Khol, que cumpriu uma pena de dois anos e cinco meses de prisão na Austrália por roubo e tráfico de droga, cortou a eletricidade de uma saída de emergência, o que lhe permitiu entrar numa área restrita do aeroporto sem levantar qualquer tipo de alarme e assim escapar.

"O que sabemos agora é que Khol abandonou o aeroporto", explicou Suvitchpol Imjairat, chefe do Departamento de Imigração do aeroporto, em declarações reproduzidas pela Efe.

"Não passou pelos controlos de imigração. [Khol] enfrenta acusações por entrar ilegalmente no país. Os investigadores do Departamento de Imigração estão a tentar localizá-lo", detalhou.

Segundo o mesmo responsável, as autoridades tailandesas não são responsáveis pela fuga do cidadão alemão, já que a Austrália não avisou a Tailândia que tinha sob sua custódia um prisioneiro que seria transferido para a Europa, após uma escala na capital.

Suvitchpol explicou que Khol, depois de ter cumprido uma pena de prisão na Austrália, estava a ser transferido para a Alemanha, onde deveria responder por outros alegados delitos.

Khol, detido em 2010, foi acusado de cometer vários crimes de roubo e tráfico de droga nos estados australianos de Queensland e Victoria, tendo sido condenado a una pena de oito anos de prisão, reduzida depois para dois anos e cinco meses.

As autoridades tailandesas oferecem uma recompensa de 10.000 baht (259 euros) a quem facultar pistas sobre o paradeiro do fugitivo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG