Na Coreia do Norte só há 28 penteados possíveis

Os regimes comunistas sempre se destacaram pela disciplina militar, que se aplica em todos os aspetos da vida social. Estes padrões que guiam a vida dos cidadãos chegam mesmo a deixar de lado a identidade pessoal dos mesmos.

É por esta razão que a última diretriz do regime norte-coreano foi vista como um sinal de modernidade, transparência e como gesto de generosidade para com a população. A nova regra contaria a escassa lista de penteados permitida pelo regime do recém-falecido Kim Jong-Il e dá a hipótese aos homens e mulheres de "escolherem" novos penteados, aprovados pelo regime.

Eles podem escolher entre dez looks possíveis, apesar de o comprimento do cabelo não poder ultrapassar os cinco centímetros de comprimento e de não poderem adotar o mesmo hairstyle do atual líder, Kim Jong-Un. São ainda proibidas as perucas, os cabelos com gel e os cabelos longos, por serem considerados muitos efeminados. Em relação a elas, muito mais afortunadas, podem agora escolher entre 18 cortes possíveis, tendo em conta se são solteiras ou casadas, já que às primeiras é proibido o cabelo comprido ou apanhado.

Na verdade, não se tratam de opções, mas sim de imposições, porque se estas regras de estilo forem ignoradas, os cidadãos poderão ser presos.

Não é a primeira vez que o Governo norte-coreano impõe regras de aparência. Em 2004, por exemplo, o gabinete de Kim Jong-Il emitiu uma campanha de propaganda através da televisão, chamada "Um Estilo de Vida Socialista", onde advertia para os cabelos compridos, que diziam poderem afetar a inteligência.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG