EUA dizem que mísseis da Coreia do Norte são provocação

Os Estados Unidos afirmaram terça-feira (hora local) em comunicado do Departamento de Estado que o teste de dois mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte representa uma "escalada preocupante e provocativa".

O comunicado do Departamento de Estado assegura também que a diplomacia norte-americana está em coordenação com os aliados e com o Conselho de Segurança das Nações Unidas para "tomar as medidas apropriadas como resposta" à última "violação" de Pyonyang às resoluções da ONU.

De acordo com um despacho da agência noticiosa da Coreia do Sul, a Yonhap, a Coreia do Norte lançou hoje dois novos mísseis balísticos para o mar, após vários testes que foram efetuados nas últimas semanas, em protesto contra as manobras militares de Seul.

Os dois mísseis foram disparados em direção ao mar, tendo percorrido 650 quilómetros, disse o ministro da Defesa da Coreia do Sul à Agência France Press (AFP).

O governante disse que é possível que se trate de uma variante do míssil Nodong, de médio alcance, mas que pode atingir, no máximo, uma distância entre os 1.000 e os 1.500 quilómetros.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas proibiu a Coreia do Norte de efetuar testes com mísseis balísticos.

Nas últimas quatro semanas, a Coreia do Norte fez vários disparos de mísseis e rockets de curto alcance e que coincidiram com as manobras navais conjuntas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos na região.

De acordo com observadores ouvidos pela AFP em Seul, caso se venha a confirmar que os mísseis lançados hoje são Nodongs, a reação da comunidade internacional pode ser mais enérgica, contra Pyongyang.

A última vez que a Coreia do Norte disparou um míssil Nodong foi em julho de 2009.

JCS (PSP) // JCS

Mais Notícias

Outras Notícias GMG