Escândalo sexual leva à demissão de mais dez

Vários elementos do partido comunista chinês foram demitidos no âmbito do escândalo de extorsão através de vídeos de sexo.

Em novembro, Lei Zhengfu, dirigente regional do partido comunista chinês em Chongqing, foi destituído do cargo depois de se ter comprovado que era ele o homem que protagonizava um vídeo sexual que andava a circular na Internet.

Agora, o caso tem desenvolvimentos, com a demissão de mais dez indivíduos, que, de acordo com a agência de notícias Xinhua, também foram filmados a praticar sexo no âmbito de um alegado esquema criminoso por parte de uma empresa de construção que visava chantageá-los.

Entre os demitidos estão elementos do partido comunista chinês, do governo regional de Chongqing e executivos de empresas estatais.

A investigação de denúncias de extorsão levou à descoberta de um esquema que passava pela contratação de mulheres que tinham a missão de seduzir os alvos, filmando de forma secreta as relações sexuais. As imagens captadas em vídeo serviam depois para os chantagear.

Alegadamente, os chantagistas eram promotores imobiliários que queriam contratos de construção mais favoráveis.

Segundo a polícia, este esquema já foi desmantelado.

Mais Notícias