Emitido mandado de detenção contra líder dos protestos

A polícia tailandesa anunciou hoje que foi emitido um mandado de detenção por "insurreição" contra Suthep Thaugsuban, opositor e líder das manifestações antigovernamentais que estão a abalar a Tailândia.

As acusações de insurreição contra Thaugsuban, líder do Partido Democrata, "são puníveis com a pena de morte ou com prisão perpétua", afirmou, em declarações a uma televisão local, um alto responsável da polícia tailandesa, Chayut Thanataweerat.

Suthep, que pretende derrubar o atual Governo tailandês, fez no domingo um ultimato à primeira-ministra Yingluck Shinawatra, dando à líder um prazo de dois dias para apresentar a demissão e ceder o poder a um conselho popular.

Para Yingluck Shinawatra, as exigências dos opositores são "inaceitáveis" e contrárias à Constituição.

A chefe do Governo tailandês afirmou hoje que não pensa demitir-se do cargo, manifestando, no entanto, disponibilidade para dialogar.

"Quero fazer tudo o quer estiver ao meu alcance para que o povo esteja contente", mas "aquilo que eu faço deve estar dentro do consagrado na Constituição", disse a governante, numa conferência de imprensa.

A polícia e os manifestantes antigovernamentais envolveram-se hoje, pelo segundo dia consecutivo, em confrontos nas ruas de Banguecoque.

Grupos de manifestantes tentaram ocupar a sede do Governo tailandês e o quartel geral da polícia metropolitana.

Os elementos das forças de segurança utilizaram gás lacrimogéneo, canhões de água e balas de borracha para dispersar os manifestantes, que tentavam remover as barricadas em cimento montadas pelas autoridades para impedir o acesso aos edifícios governamentais.

A Tailândia enfrenta uma grave crise política desde o golpe militar que, em 2006, derrubou o Governo de Thaksin Shinawatra, irmão mais velho da atual primeira-ministra.

Thaksin Shinawatra foi primeiro-ministro da Tailândia entre 2001 e 2006, mas está atualmente no exílio no Reino Unido depois de o seu governo ter sido derrubado por um golpe de Estado pacífico, levado a cabo pelo exército tailandês.

Os protestos contra a primeira-ministra duram há semanas, mas intensificaram-se nos últimos dias face ao apelo dos líderes dos movimentos de oposição para um esforço final para depor o Governo, que dizem ser manipulado por Thaksin Shinawatra.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG