Detetados novos objetos que podem ser do voo MH370

(COM INFOGRAFIA) O Governo chinês confirmou hoje que satélites do seu país detetaram um objeto de grandes dimensões no sul do oceano Índico que pode estar ligado ao avião da Malásia Airlines que desapareceu há duas semanas.

Veja a infografia com as buscas em página inteira

Segundo a agência de notícias Xinhua, que cita a Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria para a Defesa Nacional, o objeto encontra-se a uns 120 quilómetros da zona onde há alguns dias a Austrália detetou elementos possivelmente ligados ao aparelho desparecido, que levava 239 pessoas a bordo.

O objeto terá 22 metros de largura e 13 de comprimento, de acordo com dimensões aproximadas divulgadas por aquele organismo estatal chinês, e foi detetado por um satélite de observação terrestre já na terça-feira.

A informação tinha sido avançada antes pelas autoridades da Malásia. "A informação que acabo de receber é que o embaixador da China [em Kuala Lumpur] recebeu imagens satélite de objetos a flutuar no corredor sul e que vão enviar navios para verificar", indicou o ministro dos Transportes, Hishammuddin Hussein.

As coordenadas onde se localiza o objeto correspondem ao corredor no qual os peritos consideram que poderia estar o avião depois do seu desaparecimento.

Hoje, as autoridades australianas retomaram pelo terceiro dia consecutivo as operações de busca, no oceano Índico, do avião da Malaysia.

O avião Boeing 777-200 da Malaysia Airlines, que tinha como destino Pequim, desapareceu dos radares, a 8 de março, cerca de 40 minutos depois de ter descolado de Kuala Lumpur.

A bordo estavam 239 pessoas, incluindo 153 chineses, 50 malaios (incluindo 12 tripulantes), sete indonésios, seis australianos, cinco indianos, quatro franceses, três norte-americanos, dois neozelandeses, dois ucranianos, dois canadianos, um russo, um holandês e um taiwanês, além de dois iranianos que embarcaram com passaportes roubados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG