China produz 80 mil milhões de pauzinhos por ano

Um deputado chinês pediu hoje aos seus concidadãos para mudarem os hábitos de consumo, deixando de recorrer de forma sistemática a pauzinhos não reutilizáveis, cuja produção implica, segundo estimativas, o abate de 20 a 25 milhões de árvores por ano.

Numa intervenção perante a sessão anual do Parlamento chinês, a decorrer em Pequim, o deputado Bo Guangxin, afirmou que, segundo número recentes, são produzidos por ano 80 mil milhões de pauzinhos, o que implica o abate de, pelo menos, 20 milhões de árvores ou, segundo organizações ambientalistas, quase 25 milhões de árvores.

"Devemos deixar de usar pauzinhos que se usam uma vez e se deitam fora. As pessoas devem habituar-se a utilizar os seus próprios talheres", disse Bo Guangxin.

A China é o primeiro importador mundial de madeira e já aplica uma taxa de 5% sobre a aquisição de pauzinhos (conhecidos no país como 'kuai zi' e no Japão como 'hachi'). Está em discussão legislação para restringir a sua produção. A questão não será, todavia, pacífica, já que a produção de fachi representa, pelo menos, cem mil postos de trabalho no país.

A desflorestação é um dos mais sérios problemas ambientais na China, onde são abatidos cerca de 40 hectares de floresta por dia, segundo a Greenpeace.

(Notícia corrigidas às 12:59 na designação chinesa de pauzinhos)

Mais Notícias