Chefe do exército autoproclama-se primeiro-ministro

O chefe do exército tailandês, Prayuth Chan-ocha, autoproclamou-se hoje primeiro-ministro provisório, um dia depois de os militares terem tomado o poder num golpe de Estado.

O Conselho Nacional para a Paz e Ordem, nome oficial da junta militar liderada por Prayuth Chan-ocha, informou em comunicado que o general assumirá as funções administrativas do cargo até que seja encontrado um novo candidato definitivo.

Na quinta-feira, a nova junta militar no poder na Tailândia avisou hoje que bloqueará quaisquer plataformas de redes sociais no país cujo conteúdo considere que incite à violência ou que seja crítico dos seus líderes militares.

O general Prayuth Chan-ocha, um militar de carreira com fortes tendências monárquicas, liderou hoje o 12.º golpe de Estado na Tailândia desde a queda da monarquia absoluta em 1932.

Prayuth Chan-ocha, chefe do exército, declarou a lei marcial na terça-feira e obrigou os protagonistas da atual crise política tialandesa a negociar, mas perante o impasse anunciou que os militares assumiam a liderança do país.

Comandante respeitado nos meios militares, politicamente Chan-ocha é alinhado com o Partido Democrata, o principal rival do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, deposto num golpe militar em 2006, mas cujo legado político manteve um clima de instabilidade permanente.

Prayuth Chan-Ocha nasceu a 21 de março de 1954 e estudou na Academia Militar de Chulanchornklao.

A sua carreira ficou marcada pelos seus estudos iniciais na Academia Preparatória das Forças Armadas, onde criou uma forte amizade com Anupong Paochinda, participante no golpe militar de 2006.

Assim como Paochinda e o ex-ministro da Defesa Prawit Wongsuwan, Chan-ocha foi militante no grupo "Tigres Orientais", uma fação militar leal à monarquia, também conhecidos como os "guardas da rainha".

Após vários anos de carreira militar com distinções começou a ganhar notoriedade política depois do golpe de 2006, altura em que ocupava o cargo de segundo comandante da Primeira Área do exército tailandês, sendo promovido a primeiro comandante na sequência do golpe.

Em 2008 Prayuth Chan-ocha foi nomeado chefe de Estado-maior do exército e em janeiro de 2009 foi designado "adjunto honorário" do rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej.

Desde o golpe de Estado de 2006, Prayuth Chan-ocha foi também deputado, membro do Comité do meio Ambiente e dos Recursos Naturais da Tailândia, membro do conselho de administração da companhia estatal de eletricidade (MEA), diretor da petrolífera estatal Thai Oil Public Co. Ltd. e diretor do banco militar da Tailândia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG