45 feridos na queda de avião em Bali

A maioria dos ocupantes do Boeing 737 que caiu no mar em Bali não sofreram ferimentos, mas 45 acabaram por recorrer aos hospitais locais, disse fonte da equipa de resgate.

Krisna Mahart afirmou à Associeted Press (AP) que os ocupantes do avião não representavam ferimentos graves e que a deslocação ao hospital se deveu a medidas de precaução.

Os 101 passageiros e sete tripulantes foram retirados do avião, que apresenta uma brecha na fuselagem, com o auxílio de barcos pneumáticos. Seguiam a bordo três estrangeiros, duas pessoas naturais de Singapura e um de França e que não ficaram feridos.

O aparelho é um Boeing 737 800 Nova Geração e foi adquirido pela companhia há um mês, disse fonte da empresa à AP.

Fazia a ligação Bandung (capital da província de Java Ocidente) e tinha aterrado em outras duas cidades antes de chegar ao aeroporto internacional de Denpasar, na ilha indonésia de Bali. Atravessou a pista e acabou por cair no mar.

O aparelho é da Lion Air (Lion Mentari Airlines), companhia indonésia low cost e que representa 45 % do mercado de aviação do país. Ainda recentemente celebraram um contrato com a Airbus para a compra de 234 aeronaves.

Faz parte da lista negra da UE, onde estão as companhias aéreas não autorizadas pela Comissão. A inclusão naquela lista não significa que as operadoras desrespeitem as normas de segurança, mas que os aparelhos não foram fiscalizados quanto ao cumprimento das regras comunitárias.

A fiscalização comunitária é obrigatórias para quem viaja para os 27 países da União Europeia, mas a Comissão fica impossibilitada de tomar medidas para as outras operadoras e proibi-as de operar no seu espaço. No entanto, as que querem ser retiradas pedem uma inspeção, caso contrário não são removidas da lista.

Há seis operadoras sediadas na Indonésia credenciadas pela UE, enquanto estão banidas 52.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG