Pistorius regressa hoje ao tribunal para ouvir sentença

Oscar Pistorius foi considerado culpado por homicídio involuntário da namorada, Reeva Steenkamp, em setembro. Sentença pode ser conhecida esta semana.

A juíza considerou, na altura, que o atleta agiu de forma "negligente" quando disparou através da porta da casa-de-banho, mas que o terá feito na crença de que "se tratava de um ladrão". "Exerci o meu poder discricionário a favor do acusado e concedo-lhe a extensão do regime de liberdade sob caução", declarou, antes de reconvocar o tribunal, situado em Pretória, para o dia 13 de outubro, para decidir a sentença.

Peritos ouvidos pela BBC apontam para sete a 11 anos de prisão como a sentença mais provável de Pistorius. Segundo o britânico The Guardian, a audiência desta semana vai assemelhar-se a um 'mini-julgamento', já que defesa e acusação poderão chamar testemunhas com o objetivo de atenuar ou agravar a pena.

A defesa começará primeiro e espera-se que o advogado de Pistorius convoque especialistas que atestem a vulnerabilidade do campeão paralímpico e confirmem que o seu perfil poderá fazer dele um alvo na prisão.

Seguir-se-ão as testemunhas da acusação, que deve chamar peritos em armas de fogo para comprovar a negligência de Pistorius ao disparar através de uma porta, assim como representantes da família de Reeva Steenkamp.

Três dias desta semana estão reservados para a audiência. É provável, segundo o Guardian, que a juíza Thokozile Masipa esteja pronta para proferir a sentença de Pistorius até à próxima quarta-feira, mas o tribunal pode ainda interromper a sessão para análise das provas apresentadas, obrigando a marcar nova data para comunicar a sentença.

No passado dia 12 de setembro, a juíza do tribunal de Pretória considerou o campeão paralímpico sul-africano Oscar Pistorius culpado do homicídio involuntário da sua namorada, a 14 de fevereiro de 2013. O atleta, de 27 anos, escapou ao veredicto mais pesado - que lhe podia valer prisão perpétua - depois de a juíza ter afastado a premeditação e o assassínio.

Mais Notícias