ONU quer enviar mais 5500 soldados para Sudão do Sul

O secretário-geral da ONU recomendou, numa carta dirigida ao Conselho de Segurança, o envio suplementar de 5.500 soldados e 423 polícias para o Sudão do Sul, para reforçar a missão das Nações Unidas no país.

A missão da ONU no Sudão do Sul (Minuss) conta atualmente com sete mil militares, entre 700 e 900 polícias e dois mil funcionários.

Os reforços seriam canalizados por missões da ONU na República Democrática do Congo, na Costa do Marfim, no Darfur, em Abyei (Sudão) e na Libéria, de acordo com a carta de Ban Ki-moon, citada pela agência noticiosa AFP.

"Devido ao agravamento da situação de segurança no Sudão do Sul, tomei medidas para reforçar, urgentemente, as capacidades de proteção da Minuss", refere o secretário-geral das Nações Unidas na missiva.

Os recursos destinam-se a assegurar a proteção de civis e as instalações da ONU no país.

O Conselho de Segurança, composto por 15 membros, reuniu-se hoje para estudar a recomendação de Ban Ki-moon.

Segundo o embaixador francês, Gérard Araud, que preside o Conselho, o órgão deverá pronunciar-se apenas na terça-feira.

No seguimento de combates em vários estados do Sudão do Sul, após uma tentativa de golpe de Estado, 45 mil civis refugiram-se nos campos e bases da ONU no país.

Na quinta-feira, "capacetes azuis" indianos foram mortos durante um ataque a uma destas bases, em Akobo, no estado de Jonglei.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG