Mia Farrow contradiz Naomi

Duas estrelas, uma do cinema, outra da moda, às avessas em tribunal por causa dos diamantes de Charles Taylor.

Naomi Campbell, que na semana passada testemunhou em Haia no julgamento de Charles Taylor, viu ontem a sua versão posta em causa pela actriz americana Mia Farrow. A modelo britânica assumiu que recebeu duas ou três "pedras sujas" a 25 de Setembro de 1997, mas disse não estar em condições de precisar se vieram ou não das mãos do ex-presidente da Libéria.

"Naomi Campbell entrou no quarto onde eu e os meus filhos tomávamos o pequeno-almoço. Lembro-me que estava muito excitada e disse efectivamente: Oh, Meu Deus, a meio da noite fui acordada por alguém a bater à porta. Eram homens enviados por Charles Taylor e ele enviou-me um grande diamante", disse ao tribunal a ex-mulher de Woody Allen, referindo-se ao dia a seguir a um jantar de caridade em que esteve com Naomi, Taylor e outros, na África do Sul, a convite do então presidente Nelson Mandela.

Farrow foi confrontada com o testemunho de Campbell, que disse ter sido a actriz a sugerir que os diamantes só poderiam ter vindo do ex-líder da Libéria, a ser julgado por crimes contra a humanidade e mais dez acusações no Tribunal Especial para a Serra Leoa. A activista dos direitos humanos reafirmou: "Naomi Campbell disse que vinham de Charles Taylor."

Questionada sobre o número de diamantes, a actriz disse: "Naomi disse diamante, no singular. Foi o que disse. Não disse alguns ou algumas pedras. Eu não vi o diamante ou diamantes." Farrow confirmou, no entanto, que Campbell referiu a intenção de dar o diamante à caridade de Mandela". A modelo britânica garantiu que entregou as pedras ao ex-gestor do Fundo Nelson Mandela para as Crianças, Jeremy Ractliffe.

Este confirmou a versão e disse ter entregado na quinta-feira três pedras à polícia sul-africana, que está agora a analisar a sua autenticidade e origem. "Naomi sugeriu que elas podiam ser úteis para o fundo das crianças, mas eu não queria envolvê-lo em nada que pudesse ser ilegal. Então, no final, decidi mantê-las [em segredo] para proteger a reputação do Fundo Nelson Mandela para as Crianças, do próprio Mandela e de Naomi", declarou, citado pelo Times.

Também ontem, no Tribunal de Haia, passou pelo banco das testemunhas a ex-assistente de Naomi Campbell, Carole White, que esteve com ela naquele jantar. A empresária, que processou a modelo por quebra de contrato, falou, por sua vez, "em cinco ou seis" diamantes que "não eram muito grandes". Naomi, que ao jantar lhe disse que Taylor lhe iria dar alguns, "ficou desiludida por não serem brilhantes". No meio de tanta confusão, o tribunal avalia se pode ou não dar como provado que Taylor recebia diamantes em bruto, os chamados diamantes de sangue, dos rebeldes da Serra Leoa, durante a guerra civil que matou 120 mil pessoas de 1991 a 2001.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG