Kadhafi aceitou mediação de Felipe González

O antigo chefe do Governo espanhol esteve na Líbia em setembro para negociar com o primeiro-ministro de Muammar Kadhafi, após uma reunião em Washington com a secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton.

Segundo revela o jornal espanhol 'ABC', Felipe González era "o único líder ocidental em quem Kadhafi confiava". José Luis Zapatero foi pontualmente informado da missão secreta de González, tendo-a apoiado com grande entusiasmo.

González encontrou-se em setembro com Al Baghdadi Alí al Mahmudi, já que Kadhafi preferiu continuar escondido. A reunião contava com o apoio dos EUA, tendo o ex-primeiro-ministro espanhol estado em Washington, no verão, para um encontro com Hillary Clinton, que deu a aprovação do Presidente Barack Obama à tentativa de mediação de González.

A missão, que tinha como objetivo negociar uma saída para a guerra da Líbia, não teve sucesso. Kadhafi recusou entregar o poder à NATO, que continuou a apoiar os rebeldes. O ditador líbio acabaria por ser morto a 20 de outubro, um mês depois da visita de González, quando tentava fugir de Sirte.

O jornal 'ABC' recorda as boas relações entre González e Kadhafi, lembrando que em 1986 o então primeiro-ministro espanhol recusou dar autorização aos norte-americanos para o uso do espaço aéreo de Espanha nos ataques ao regime líbio.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG