Angola condena "com firmeza" golpe de Estado

O Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, condenou hoje em Luanda o golpe de Estado na República Centro-Africana e apelou à União Africana a adoção das "medidas necessárias" para o restabelecimento da legalidade.

José Eduardo dos Santos, que intervinha na cerimónia de abertura do Fórum Panafricano para institucionalização de uma Cultura de Paz, organizado pela UNESCO e pelo Governo angolano, defendeu a aplicação dos Acordos de Paz de Libreville para se ultrapassar a atual situação em Bangui.

Na sua intervenção, José Eduardo dos Santos abordou outros conflitos em curso no continente africano.

"Neste preciso momento, tanto na República Democrática do Congo, como na República Centro-Africana, no Mali, na Nigéria, na Somália, na Líbia, no Sudão do Sul, só para dar alguns exemplos, a vida de milhões de civis inocentes, homens, mulheres e crianças, é posta em perigo por conflitos armados", disse.

O Presidente angolano frisou, a propósito, que "o continente africano tem tanta necessidade de paz como de pão para alimentar os seus filhos".

"Não podemos satisfazer a necessidade de todos se a guerra prevalecer", acrescentou.

A capital da República Centro-Africana está em sobressalto desde domingo, quando rebeldes da coligação Séléka tomaram de assalto o palácio presidencial e assumiram o poder no país, depondo o Presidente François Bozizé, que acusam de não respeitar o acordo de paz assinado no início do ano na capital gabonesa.

O chefe de Estado deposto conseguiu escapar ao ataque, tendo-se refugiado nos Camarões, enquanto a família foi acolhida na vizinha República Democrática do Congo.

Mais Notícias