A Helpo em Moçambique. Flashback

Está a chegar ao fim a minha inesquecível passagem por terras de Moçambique. Para além de tudo o que fui relatando, vêm-me à memória momentos únicos:

1. Ilha de Moçambique. Escolinha da Cooperacão Portuguesa, uma instituicão do ensino pré-primário, com 10 educadores para 210 pequeninos e com uma lista de espera de mais 100, cujos pais gostariam de ver os seus filhos nela. Porquê? Porque estamos perante um jardim de infância exemplar - em qualquer parte do Mundo - adaptado às condicões prevalecentes localmente: de materiais recicláveis fazem-se brinquedos, mesinhas e bancos (com garrafas de água vazias e placas de aglomerado), instrumentos de percussão, as cores criam-se e aprendem-se a apartir de pigmentos locais (borras de café, carvão, argila); as criancas vão rodando diariamente por múltiplas atividades, em sala e ao ar livre, até cultivando sua micro machamba no quintal da escolinha; os meninos preferem os blocos para construção, as meninas de histórias de encantar e de por as suas bonecas a dormir... com a caminha bem protegida por uma mini rede mosquiteira! A Helpo vai envolver-se neste projeto exemplar e o objetivo é o de replicar, a 3 anos, este tipo de escolinha por várias outras no Distrito da Ilha de Moçambique. Quem sabe se um dia não se consegue disseminar pelo país um ensino pré-primário de qualidade, assente numa sólida pedagogia e no engenho de quem, pensando localmente, produz o sonho a partir de quase nada!...

2. Escola Secundária de Anchilo, Nampula. Aí, assisti ao minucioso trabalho para equipar com o essencial os cerca de 60 jovens, no quadro do programa da Helpo, que designamos por "Futuro Maior". É preciso confirmar a inscricão de cada um no secundário, para podermos desembolsar a quantia necessária, provar o uniforme escolar (blusa e calça/saia azuis) á medida, fornecer sapatilhas e mochilas recheadas de material escolar, fotografar o resultado completo para enviar à madrinha ou ao padrinho respetivo. Leva o seu tempo, mas deu para ir falando com alguns deles, os mais articulados a exprimir-se em Português. Não é nada fácil a vida destes jovens. Em toda a Província de Nampula, para além das quase 3 mil escolas primárias, existem somente 78 estabelecimentos do Ensino Secundário Geral. Para os jovens que vêm de pequenas comunidades rurais, é muito difícil prosseguir os seus estudos até à 12ª. classe. Por isso mesmo, qualquer apoio que lhes chegue, mesmo de muito longe, é um fator de encorajamento da maior importância.

3. Infantário Provincial de Nampula. Este é o nome dado no país aos orfanatos. Neste, acolhem-se atualmente 38 crianças orfãs ou que sofrem de maus tratos ou abandono familiar. A diretora é uma grande mulher: grande no corpo e grande no espírito, uma mãe protetora para todos (inclusivé, para 2 dos seus próprios filhos!), que os orienta para uma vida autónoma, inculcando às crianças saberes e princípios, que elas deviam ter recebido nas suas famílias. Todos ajudam nas tarefas diárias, repetitivas, da vida no infantário, todos vão para a escola ou aprendem uma profissão; ficam no Infantário, sem limite de idade, até se encontrar um modo de vida autónomo e sustentável para cada um deles.

Tratando-se de uma instituição do Estado, estariam perdidos sem os apoios financeiros, direto e indireto, que a Helpo tem conseguido canalizar para ajudar esta grande família, tão exíguo é o financiamento oficial que lhes é atribuído.

Tudo isto é inesquecível.

Em Moçambique respira-se um ar de apreensão pelo confronto político-constitucional entre a Frelimo e a Renamo à volta da criação das Regiões Autónomas. Mas há também no ar um sopro de otimismo e de esperança de que o novo Governo, empossado em meados de fevereiro, corporizando uma mudança de geração no poder, ataque os enormes problemas sociais, que a população moçambicana continua a defrontar. É com essa enorme esperança, que regresso a Portugal, certo que a Helpo vai dar o seu melhor para participar, à medida das forças que for conseguindo congregar, na criação de um mundo mais humano para as crianças deste grande e belo país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG