A "decepção" das autoridades chinesas

O título de hoje de um jornal de Pequim sobre os prémios Nobel de 2010 revelou-se premonitório: "mais um ano de decepção", disse o Global Times acerca das escolhas da Academia.

O comentário, publicado cerca de 12 horas antes de ser anunciado o Nobel da Paz, refere-se aos prémios científicos (Medicina, Física e Química), mas traduzirá também o que as autoridades chinesas devem sentir acerca da distinção atribuída hoje a Liu Xiaobo.

Na primeira reacção oficial chinesa, difundida uma hora e meia depois, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, advertiu a Noruega que a decisão do Comité Nobel Norueguês "pode prejudicar" as relações entre os dois países.

Antigo professor universitário e crítico literário, Liu Xiaobo, de 56 anos, está preso desde Dezembro de 2008, pela terceira vez, e condenado a onze anos de prisão por  actividades consideradas subversivas.

O Comité Nobel Norueguês decidiu distinguir Liu Xiaobo "pela sua luta longa e não violenta pelos direitos fundamentais da China".

No passado dia 28 de Setembro, questionada sobre a possibilidade de Liu Xiaobo ser galardoado com o Nobel da Paz, a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Jiang Yu, respondeu: "essa pessoa foi condenada à prisão porque violou a lei chinesa".

"As suas acções (de Liu Xiaobo) são diametralmente opostas aos objectivos do prémio Nobel. O desejo do senhor Nobel era que o Prémio da Paz fosse atribuído a alguém que promovesse a paz entre os povos, a amizade internacional e o desarmamento", afirmou a porta-voz.

Há cerca de duas semanas, o director do Instituto Nobel da Noruega, Geir Lundestad, disse que um alto funcionário chinês o advertiu de que a atribuição do Nobel da Paz a Liu Xiaobo seria visto em Pequim como "um acto hostil".

Não é o primeiro "acto hostil" do género, mas, ao contrário de há 21 anos, quando aquele instituto decidiu atribuir o prémio da Paz ao Dalai-Lama, líder espiritual do Tibete, a China hoje é considerada uma grande potência emergente.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG