A Alemanha precisa de imigrantes, defende Schäuble

Ministro das Finanças de Angela Merkel assume posição perante a emergência do movimento islamofóbico PEGIDA

A súbita emergência do PEGIDA - Patriotas Europeus contra a Islamização do Ocidente - está a preocupar o governo alemão e obrigou ontem o ministro mais influente da equipa da chanceler Angela Merkel a tomar uma posição clara. "O mundo está mais aberto e a imigração ajuda toda a gente. Tal como usámos milhões a seguir à II Guerra Mundial para reconstruir... então hoje precisamos da imigração", afirmou Wolfgang Schäuble, responsável pela pasta das Finanças no governo de grande coligação.

"Claro que temos de conviver com os imigrantes. Isso mudará a nossa vida no dia-a-dia, mas não a tornará pior, mas sim melhor", garantiu Schäuble ao jornal 'Bild', defendendo que os políticos têm de saber explicar melhor as mudanças que atingem a vida das pessoas e que os alemães não têm razões para ter receio dos imigrantes. "As pessoas têm razão em temer o terrorismo islâmico mas não o islão", sublinhou o ministro das Finanças, que é considerado o braço direito de Angela Merkel.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA OU NO E-PAPER DO DN:

Mais Notícias

Outras Notícias GMG