26 mil euros saem das contas de passageiros do MH370

No dia 18 de julho, os bancos aperceberam-se que tinha sido retirado dinheiro, através de vários levantamentos em caixas multibanco, das contas de quatro dos passageiros a bordo do MH370, desaparecido há cinco meses.

"Os bancos aperceberam-se das transações a 18 de julho. Realizaram uma investigação interna antes de a denunciarem à polícia, no dia 2 de agosto", indicou o ajudante do diretor do Departamento de Investigação de Delitos Comerciais, Izany Abdul Ghany. A soma de todas as transações atinge os 26 mil euros.

Passaram cinco meses desde o desaparecimento do Boeing da Malásia Airlines que voava de Kuala Lumpur, com 227 passageiros e 12 tripulantes, com destino a Pequim. A polícia da Malásia investiga, agora, as contas de quatro passageiros que se pensa terem morrido asfixiados devido a um incêndio elétrico a bordo do avião, antes de este cair no Oceano Índico.

Izany Ghany afirma que a polícia está a seguir o percurso das transações via multibanco, examinando os vídeos de vigilância de cada caixa automática."Estamos a investigar o caso como um acesso não autorizado com a intenção de cometer uma infração", declarou Ghany, sem descartar outras possibilidades.

De acordo com os dados recolhidos por satélite, o avião terá alterado a sua rota "deliberadamente" para cruzar o Estreito de Malaca, em direção contrária ao seu trajeto inicial. O ministro dos Transportes da Malásia, Datuk Seri Liow Tiong Lai, assegura que a busca pelo MH370 irá continuar. Estão previstas buscas em zonas remotas do Oceano Índico no mês de setembro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG