Há uma solução pacífica para a crise na Ucrânia?