Histórias de uma vida disléxica

A dedicação de Gracinda Antunes Valido à terapia da fala valeu-lhe o reconhecimento da comunidade escolar, que escolheu dar nome da terapeuta à antiga Escola Básica nº 2 de Alcoitão

Quando a terapeuta Gracinda Antunes Valido passa nos corredores do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, percebe-se o motivo da antiga Escola Básica nº2 de Alcoitão levar agora o nome dela. A terapeuta para por diversas vezes para falar com utentes, com os colegas e conversar com os pais das crianças que acompanha. Toda a gente a conhece.

A Escola Gracinda Antunes Valido, renomeada em maio de 2017, está inserida no Centro de Reabilitação de Alcoitão, onde estudam as crianças que ficam internadas para tratamento. Muitas delas são acompanhas pela terapeuta.

Além de crianças com problemas de articulação verbal e com dificuldades na deglutição, Gracinda Valido atende sobretudo crianças com problemas de linguagem. "Esse é o o nosso grande número de casos. Não tem só a ver com a articulação da fala mas tem a ver com todo um processamento cerebral que é transmitir em linguagem organizada e bem estruturada o pensamento. Posso ter uma criança que é intelectualmente boa e que não consiga ser explícita naquilo que quer dizer".

Em conjunto com uma colega, Gracinda Valido desenvolveu o método Habiles que dá uma representação gráfica aos sons através de gestos e cores. "Não é pelo ouvido que ele está a discriminar, não é pelo processamento auditivo. Está a discriminar pelo gesto que estou a fazer, como fazem os surdos", explicou.

Gracinda Valido costuma dizer que não é por acaso que é terapeuta da fala. Entrou no centro de Alcoitão em 1981 e, anos mais tarde, travou uma batalha com a dislexia dentro de casa. Tem três filhos, dois deles com perturbações de linguagem. "[O meu filho] é um miúdo disléxico grave e que me fez evoluir, fez-me criar métodos, fez-me criar baterias de avaliação, fez-me estudar, fez-me fazer estágio, fez-me apaixonar por esta perturbação da linguagem que é a dislexia. Tenho a sorte de ter um filho que me fez crescer enquanto terapeuta. E é um dos casos que cito como casos de sucesso", recorda.

Mas não é só no centro da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa que Gracinda Valido põe em prática os conhecimento da linguagem. A terapeuta faz ações de voluntariado em escolas para ajudar a detetar precocemente crianças com dificuldades na linguagem. Foi este trabalho com a comunidade que lhe valeu o reconhecimento do agrupamento de escolas de Alcabideche.

"Há muitos anos que faz formação de professores. Há muitos anos que vai às escolas, dirige-se às escolas, em especial aos estabelecimentos de educação pré-escolar porque é logo na base que se deve intervir ao nível dos problemas específicos de linguagem, explicou Fernando Martins, professor na Escola Gracinda Antunes Valido

Mais Notícias

Outras Notícias GMG