portugueses

Ana Paula Laborinho

Isto de ser português

As histórias sucedem-se como se sucedem as opiniões, quase tantas como os dez milhões que somos. O presidente da Câmara de Cascais contou que durante o fim de semana havia quem passeasse uma trela sem cão para argumentar que cumpria a lei. Outros diziam que tinham a máscara no bolso e outros acumulavam-se à mesa do restaurante invocando o direito de resistência civil. As redes sociais enchem-se de informações e contrainformações, histórias de há meses ou anos apresentadas como se fossem ontem, locais que se fazem passar por outros e tantas, tantas entorses da realidade que perdemos a capacidade de nos encontrar neste espesso nevoeiro.