António Costa

Rui Cardona Ferreira

A interpelação à direita democrática

Embora formalmente ausente das eleições do passado dia 24, António Costa é um discreto mas evidente vencedor dessa noite eleitoral, por várias razões. Em primeiro lugar, não podendo vencê-lo, António Costa soube juntar-se a Marcelo Rebelo de Sousa no conhecido episódio da visita à Autoeuropa e a falta de apoio do PS a qualquer candidato sempre seria interpretada pelo eleitorado como um apoio ao candidato incumbente. Em segundo lugar, de uma assentada, António Costa viu fortemente diminuídas as bases de apoio dos partidos à sua esquerda e fracassada a tentativa de afirmação de uma certa ala esquerda dentro do próprio PS. Em terceiro e último lugar, o resultado das eleições eleitorais também deixa a direita democrática perante o problema do exponencial crescimento do Chega e o inerente risco de fragmentação desse espaço político.