TDT. Pandemia atira para dezembro conclusão da mudança de emissores

Processo de mudança de emissores arranca a 12 de agosto no distrito de Portalegre. Alter do Chão é o primeiro dos 180 que ainda precisam de ser alterados.

Quem estiver a ver o seu programa favorito nos canais generalistas transmitidos pela Televisão Digital Terrestre (TDT) e viver no distrito de Portalegre, na zona servida pelo emissor de Alter do Chão, no próximo dia 12 de agosto vai ficar com o ecrã a negro. O seu televisor não está estragado, tem apenas de ressintonizar para a nova frequência em que a RTP, SIC ou TVI passam a ser transmitidos. O ecrã a negro marca a retoma da mudança dos emissores da TDT, interrompida em março por causa da pandemia e que atirou a conclusão deste processo para 18 de dezembro. A mudança é necessária para libertar as faixas, atualmente usadas pelos canais, para a rede 5G, com arranque previsto para 2020.

Depois de a 13 de março a pandemia ter obrigado à suspensão da migração da rede de emissores em Couço (distrito de Santarém), o número de casos de infeções na Grande Lisboa obrigou a nova mudança no calendário. De 3 de agosto, o processo derrapou para dia 12 e, em vez de Palmela, a que se seguiriam os emissores da Grande Lisboa, acabou por se reiniciar em Alter do Chão, devido à "indisponibilidade" de um dos fornecedores do Meo para prestar no terreno os serviços de ressintonia dos emissores devido à pandemia.

Até março tinham sido alterados 63 de um total de 243 emissores. Alter do Chão é o primeiro dos 180 que faltam ser ressintonizados, seguindo-se, ainda no distrito de Portalegre, o de Sousel (17 de agosto); o de Elvas (a 18); Campo Maior e Arronches (19 de agosto); Castelo de Vide e Nisa (a 20) e o emissor do Gavião (a 21). Nesse mesmo dia será alterado o emissor de Mação, no distrito de Santarém. O processo de migração dos emissores na região 4 termina a 22 de setembro, abrangendo 28 emissores. As datas para os remanescentes ainda não são conhecidas.

Quem vê televisão através do emissor de S. Mamede, em Portalegre, não será afetado, já que este não muda de frequência. Saberá se foi abrangido se o seu televisor ficar sem imagem, mas antes disso deverá receber pelo correio uma carta ou um folheto com informação sobre as mudanças na TDT.

Para continuar a ver os canais terá apenas de fazer uma nova sintonia no televisor ou no descodificador de TDT. Não tem de substituir ou reorientar a antena, trocar de aparelho de televisão ou de descodificador, nem subscrever serviços de TV paga. "No caso dos condomínios/edifícios que tenham instalações com amplificadores mono-canal poderão ter que os substituir", informa a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

Para ajudar neste processo, a Anacom criou, inclusive, uma linha telefónica de apoio gratuita (800 102 002), para a qual pode ligar todos os dias, a partir de 3 de agosto, entre as 9 e as 22 horas. Se mesmo assim não conseguir fazer a sintonia dos equipamentos, o regulador irá agendar uma visita a sua casa, com técnicos seus e de forma gratuita.

Ana Marcela é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias