Vieira recebe voto de confiança dos sócios e lança apelo à união

Na maior votação da história do Benfica, os sócios decidiram-se pela continuidade do projeto do presidente em funções há 17 anos. Luís Filipe Vieira recebeu 62,59% dos votos, o pior resultado das seis vezes que foi eleito, mas que ainda assim é uma vitória confortável.

Luís Filipe Vieira, de 71 anos, foi reeleito esta quarta-feira como presidente do Benfica naquelas que foram as eleições mais concorridas de sempre, com um total de 38 102 votantes. Foi já depois das 2.00 horas que os resultados foram divulgados pelo presidente da mesa da Assembleia Geral, Virgílio Duque Vieira, com a lista A a receber 62,59% dos votos expressos, enquanto João Noronha Lopes obteve 34,71% e Rui Gomes da Silva não foi além de 1,64%.

Esta foi, no entanto, a vitória por menor margem de Vieira nas seis eleições a que concorreu, batendo os 83% com que foi eleito em 2012 quando teve como concorrente Rui Rangel.

No discurso de vitória, já depois de ter tomado posse, Luís Filipe Vieira não escondeu o "orgulho de vencer" as eleições mais concorridas de sempre, destacando a "demonstração única de vitalidade" que os sócios do Benfica deram. "Tenho orgulho de liderar um clube com esta militância", disse.

Vieira deixou depois um aviso aos derrotados nesta eleição, num claro apoio à união. "Os resultados são claros e espero que todos assumam as responsabilidades. Somos mais fortes juntos e quando não nos dividimos. O Benfica cresceu ao longo destes anos porque não houve fações, nem grupos a criar desgaste. A partir de agora, não há vencedores nem vencidos", sublinhou.

O líder encarnado reafirmou ainda este será o seu sexto e último mandato. "Inicio o meu último mandato que será de continuidade para que possamos corrigir o que fizemos de errado", frisou.

Colocando os olhos no futuro, Luís Filipe Vieira disse ser "um homem feliz pela confiança" que recebeu dos sócios e avisou que os próximos quatro anos serão "exigentes" e nos quais a sua direção será "fortemente desafiada". No entanto, deixou uma promessa: "Saberemos responder a altura da história do Benfica."

Há 17 anos no poder, Vieira prepara-se para, no final deste novo mandato, deixar o clube após 21 anos de gestão. Isto se for cumprido até ao fim, uma vez que o presidente do Benfica já avisou que apresentará a demissão se for condenado em algum processo judicial em que está envolvido. Aliás, os próximos quatro anos serão importantes para que sejam decididos alguns desses processos, faltando saber em que medida podem influenciar a gestão do clube. Para já, não impediram que tivesse sido eleito, naquilo que deve ser encarado como um voto de confiança por parte dos benfiquistas.

Propostas para o novo mandato

Aquele que já é o presidente com mais tempo à frente dos destinos do Benfica tem agora quatro anos para devolver a grandeza europeia à equipa de futebol, uma vez que, durante a campanha, assumiu que o principal objetivo são os resultados desportivos, propondo-se "ganhar em Portugal e além-fronteiras". E para isso garantiu um reforço do investimento para que seja alcançado o sucesso. Aliás, esse investimento já começou esta época com a contratação do treinador Jorge Jesus e o investimento de 98,5 milhões de euros em reforços.

Esta época não começou da melhor forma, uma vez que um dos grandes objetivos, que era a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões, não foi alcançado, razão pela qual Vieira teve de vender Rúben Dias ao Manchester City para equilibrar as contas. Nesse contexto, foi redefinido o objetivo europeu, tendo Vieira assumido a candidatura à conquista da Liga Europa. O presidente encarnado afirmou mesmo durante a campanha que tem como objetivo vencer um título europeu nos próximos quatro anos de mandato.

A formação de futebolistas continua a ser uma das bandeiras para o novo mandato, com Vieira a garantir que irá aumentar o número de campos no Benfica Campus, no Seixal, e irá ainda avançar com o projeto do colégio que, garante, "será diferenciador" em relação à formação dos outros clubes e que, como tal, "irá captar ainda mais talentos".

No ponto de vista financeiro, Vieira pretende ainda manter os resultados positivos que se sucedem há sete anos, algo que salientou no discurso de tomada de posse, e para isso propõe-se apenas vender jogadores no caso de necessidade de ter as contas positivas. O presidente encarnado mantém ainda o propósito de continuar o processo de redução da dívida e no que diz respeito a receitas pretende maximiza-las através da quotização, bilhética e merchandising, patrocínios e direitos televisivos.

Luís Filipe Vieira admitiu, entretanto, que o centro de alto rendimento e o hotel que tinha previsto construir já não será ele a fazer. E, nesse contexto, anunciou que nos próximos quatro anos irá preparar Rui Costa para se apresentar às urnas em 2024 para lhe suceder como presidente do Benfica.

Para já, o antigo futebolista assume o cargo de vice-presidente do clube, razão pela qual, de acordo com os estatutos, deixa de ser remunerado como administrador da SAD, tal como vinha acontecendo até agora.

EIS OS NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DO BENFICA:

DIREÇÃO
Presidente - Luís Filipe Vieira
Vice-presidentes -Rui Costa, José Eduardo Moniz, João Varandas Fernandes, Domingos D'Almeida Lima, Fernando Tavares, Sílvio Cervan, Jaime Antunes (suplente), Rui Vieira do Passo (suplente)

ASSEMBLEIA GERAL
Presidente - Rui Pereira
Vice-presidente - António Pires de Andrade
Primeiro-secretário - Pedro Nunes de Carvalho
Segundo-secretário - Miguel Vasconcelos Ferreira
Secretário suplente - Rodolfo Lavrador

CONSELHO FISCAL
Presidente - Fernando Fonseca Santos
Vice-presidente - João Augusto
Vogais - Gualter Godinho, Rui Mendonça Rodrigues, José Manuel Appelton, João do Paço (suplente)

Noronha Lopes e Rui Gomes da Silva felicitam Vieira

Os dois candidatos derrotados nas eleições do Benfica aceitaram a derrota e felicitaram Luís Filipe Vieira.

"Tive a oportunidade de ligar ao presidente Luís Filipe Vieira para o felicitar pela sua vitória nestas eleições, com a certeza de que, mesmo com o atual presidente, nada será como dantes. E com essa mudança, esse grau de exigência, será o Sport Lisboa e Benfica, o nosso querido clube, que ganhará", disse Noronha Lopes, que garante ter-se comprometido com a família em como só se iria candidatar uma vez à presidência do Benfica.

"Tenho um compromisso com a minha família de que seria a única eleição a que me iria candidatar, vamos ver como as coisas se passam, uma coisa eu garanto aos benfiquistas, nunca abdicarei da minha cidadania benfiquista e nunca abdicarei de procurar o que for melhor para o clube", assegurou.

Rui Gomes da Silva revelou que esteve ao telefone com Luís Filipe Vieira para lhe dar os parabéns pela vitória e desejar "as maiores felicidades".

"Acabaram as eleições, acabaram as divisões. Agora o que é preciso é ganhar o próximo jogo. As maiores felicidades a todos os eleitos, parabéns pelo resultado que Luís Filipe Vieira teve, não deixa dúvidas a ninguém", frisou.

Mais Notícias