Exclusivo 'Blackout' sobre a Raríssimas, onde ainda há muito por esclarecer

A Raríssimas tem sido o rosto das doenças raras em Portugal sempre que se assinala o dia mundial destes doentes, como acontece nesta quinta-feira. Em dezembro de 2017 foram denunciadas alegadas irregularidades na gestão da associação, mas o Ministério Público ainda não concluiu a investigação. Nem a auditoria às contas terminou.

Em dezembro de 2017, a Raríssimas foi notícia por alegadas irregularidades na gestão, o que levou ao afastamento da então presidente, Paula Costa e Brito, que é a única arguida na investigação do Ministério Público.

Os problemas da direção de Paula Brito e Costa foram denunciados em reportagens da TVI. Em causa, o alegado uso do dinheiro da instituição em proveito próprio. E também o marido e o filho trabalhavam na Raríssimas - Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG