Exclusivo Quem era o "artista da rádio e da cassete" José Pinhal?

Músico popular dos anos 1980, gravou cassetes, cantava em boîtes e nas rádios locais. Redescoberto, tornou-se um sucesso em festas universitárias nos anos 2000. A sua história é contada no documentário A Vida Dura Muito Pouco.

Foi por volta de 2015, quando estava a estudar na ESMAD - Escola Superior de Media, Artes e Design, no Porto, que Dinis Leal Machado ouviu pela primeira vez a música de José Pinhal. "Foi um colega meu que nos mostrou José Pinhal e aquela música tornou-se quase um hino do nosso curso, eu fiquei fascinado com a obra dele." Temas como Tu És a Que Eu Quero e Não Prendas o Teu Cabelo tocavam nas festas dos estudantes em momentos de grande diversão, ainda que na altura ninguém soubesse muito bem quem era aquele músico nem o que lhe tinha acontecido. "Falámos logo dessa ideia de um dia fazer um filme sobre ele." Por isso, quando, após terminar a licenciatura, Dinis teve de ficar praticamente um ano parado antes de prosseguir para o mestrado, decidiu que essa era a oportunidade para ir à procura de José Pinhal.

O resultado é A Vida Dura Muito Pouco, o documentário que agora se estreia no festival IndieLisboa - a sessão é no dia 28, sexta-feira, às 19.00, no Cinema São Jorge, em complemento a Ricardo, documentário de Luís Sobreiro (secção IndieMusic).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG