Estudar depois da reforma. Eles remaram contra a idade e licenciaram-se depois dos 60
Premium

Ensino Superior

Estudar depois da reforma. Eles remaram contra a idade e licenciaram-se depois dos 60

Francisco nega uma vida de reformado sentado no café, escolhendo continuar a contribuir para a sociedade. A educação austera de Alfredo pôs uma vírgula no sonho de seguir teatro, mas não um ponto final, porque aos 60 foi fazer estudos nessa área. Aos 69, Adrião riscou da lista de metas de vida "tirar um curso superior".

A vida não é um sopro, a juventude não acaba aos 30 e 60 anos também é idade para começar a estudar. É o que provam Adrião, Alfredo e Francisco, a quem foi negado o acesso ao ensino superior quando ainda eram jovens, passando décadas das suas vidas dedicados a trabalhos que não foram aqueles com que sonharam. A esperança não morreu com a idade e, depois da reforma, candidataram-se a universidades para darem asas a sonhos perdidos. O DN conta a história destes estudantes.

Perseguir o palco da infância

Ler mais

Mais Notícias