Premium Palácio de Belém, 2026. Os possíveis inquilinos que se seguem

Paulo Portas não afasta candidatura presidencial no futuro. Mas na linha da frente para Belém, daqui a cinco anos, podem estar vários ex-primeiros-ministros. E o destino do Governo de António Costa pode decidir muita coisa.

As próximas presidenciais estão à distância de poucos meses, mas as carreiras políticas fazem-se com corredores de fundo e o caminho para Belém é uma maratona que pode exigir anos de preparação - Marcelo Rebelo de Sousa que o diga. Paulo Portas já veio a terreiro, em entrevista no Público, declarar o seu apoio a uma recandidatura do atual presidente em janeiro de 2021. E, pelo caminho, deixou entreaberta a porta para futuras presidenciais.

Taxativo na recusa de uma candidatura à Câmara de Lisboa (um cenário que até o presidente do PSD, Rui Rio, já abordou) nas próximas eleições autárquicas, o antigo líder do CDS não fez o mesmo quando questionado sobre se ele próprio poderá estar a participar numa campanha presidencial daqui a alguns anos: "Não sei, não sei, essa parte fica para depois...". Ex-vice-primeiro-ministro, Paulo Portas já teria entrada direta para o lote de futuros presidenciáveis. E guardou o lugar.

Ler mais

Mais Notícias