Consumo de tabaco diminuiu nos últimos cinco anos

Apenas 16,8% da população no continente era fumadora em 2019, face aos 19,9% de 2014. Menos mulheres a fumar pela primeira vez desde 1987

O consumo de tabaco em Portugal Continental diminuiu nos últimos cinco anos. De acordo com o último Inquérito Nacional de Saúde, em 2019, 16,8% da população residente em Portugal Continental com 15 ou mais anos era fumadora, 14% da qual fumadora diária.

Entre as mulheres, foi invertida a tendência crescente de consumo que se registava desde 1987, havendo mesmo uma redução da prevalência do consumo de 13,2% para 10,9%.

Estes foram dois objetivos do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo (PNPCT), da Direção-Geral da Saúde, que foram cumpridos em 2020, e que constam do relatório divulgado oficialmente hoje e que o DN obteve por antecipação. O primeiro objetivo passava por reduzir a prevalência de consumo de tabaco na população residente com 15 ou mais anos de 19,9% para menos de 17%, algo conseguido no continente, com uma diminuição de 15,6% - para 2022, o objetivo passa por reduzir a prevalência para menos de 15%. O segundo pretendia reverter a tendência de subida no sexo feminino.

Segundo os dados do relatório, 61,1% da população portuguesa nunca fumou (44,8% dos homens e 75,3% das mulheres), 21,4% são ex-fumadores (30,6% homens e 13,4% mulheres), 2,8% são fumadores ocasionais (3,7% homens e 2% mulheres), 17% são fumadores (23,9% homens e 10,9% mulheres) e 14,2% são fumadores diários (20,2% homens e 9% mulheres). Em termos absolutos, estima-se que haja em Portugal 1 510 503 fumadores, entre os quais 1 262 404 que o fazem diariamente e 248 099 ocasionalmente.

Os Açores é a região que tem maior prevalência de fumadores (23,4%), seguida de Alentejo (19,1%) e Algarve (18,6%). A região mais a sul no país foi aquela em que mais caiu a percentagem de fumadores (variação de -6,3%), ao passo que o Alentejo foi a única que registou um aumento (1%).

Em termos etários, é entre a população entre 25 e 34 anos que se encontram mais fumadores (27,6%), seguida das faixas 35-44 anos (24,9%) e 45-54 (22,6%).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG