Premium "Disse ao meu irmão que ninguém o criticava se decidisse ir ao encontro de Deus. Eu ajudaria"

Insubmissos é ainda um romance tabu para o escritor que vive em Portugal há 30 anos e assim será até terça-feira, quando chega às livrarias. Até esse dia, mais não é do que "o" livro que o colocaria num índex e razão para ser obrigado a deixar o país.

Richard Zimler inicia este seu "novo" romance com um prefácio em que explica o atraso de 20 anos na publicação em Portugal de Insubmissos. O escritor, que vive no Porto, não se arrependeu em ter aceitado o conselho para o adiar: "De maneira nenhuma, a Maria da Piedade Ferreira, a minha editora, então na Quetzal Editores, queria proteger-me. E estou-lhe grato."

As razões eram claras à época, justifica: "Ela conhecia muito bem os meios culturais, literários e políticos em Portugal e receava represálias. Eu sabia pouco sobre o país, pois só tinha chegado em 1990. Quando enumerou as dificuldades que eu podia enfrentar e como é que os elementos mais conservadores e preconceituosos da sociedade portuguesa reagiriam negativamente a um romance que explorava alguns temas tabus, decidi que não podia arriscar a minha carreira como escritor e a carreira do Alexandre [Quintanilha] como cientista e professor."

Ler mais

Mais Notícias