Multinacional francesa de luxo investe no calçado em Santa Maria da Feira

São João de Ver é a mais recente aposta da Atepeli, que produz para a Louis Vuitton, embora, oficialmente, se assuma apenas como parte de um dos maiores grupos de produtos de luxo.

A Atepeli - Ateliers de Portugal está a instalar-se em São João de Ver, Santa Maria da Feira, para aí produzir componentes de calçado. E está a contratar. O objetivo, numa primeira fase, é chegar aos cem funcionários, número que pretende duplicar. As primeiras 15 terminaram a formação inicial e já estão a laborar.

A empresa, que se assume como estando "integrada num dos maiores grupos multinacionais de produtos de luxo, presente em mais de 60 países", chegou a Portugal em 2011, com fábricas em Ponte de Lima, onde se instalou inicialmente, mas também em Lousada e Penafiel. A unidade de Penafiel, a mais recente, representou um investimento de 6,5 milhões de euros, com o objetivo de criar 300 postos de trabalho, e foi concluída já neste ano, com uma área bruta de construção de mais de 7000 metros quadrados.

Agora, a Atepeli está a apostar em Santa Maria da Feira. O presidente do município divulgou, na sua página oficial do Facebook, que a empresa está a recrutar colaboradores com ou sem experiência no setor do calçado. Uma rápida pesquisa na internet mostra várias referências à Louis Vuitton em anteriores notícias publicadas sobre a expansão da Atepeli em Portugal, mas, questionado sobre o investidor, Emídio Sousa recusou entrar em pormenores, dado o compromisso de sigilo a que está obrigado.

Reiterou, apenas, tratar-se de uma multinacional francesa, integrada "num dos maiores grupos de luxo", e que está a negociar a compra de um lote de 20 mil metros quadrados no concelho para aí construir uma unidade de raiz. No imediato, optou por instalações arrendadas e recorreu à autarquia para a apoiar no processo de recrutamento, através da ALPE, a Agência Local em Prol do Emprego.

O DN/Dinheiro Vivo tentou contactar a empresa, mas sem sucesso. No entanto, na sua página no Facebook, a Atepeli assinalou o arranque do "novo atelier" de Santa Maria da Feira, com as primeiras 15 pessoas. "Um dia seremos mais de 200", garante a empresa na mesma publicação, dando conta de que continua a aceitar candidaturas de pessoas "com experiência em costura de calçado". No total, a Atepeli tem já mais de 750 trabalhadores em Portugal.

Emídio Sousa mostra-se confiante com as negociações para que o investimento no seu concelho, "um assunto que vem sendo trabalhado há cerca de dois anos", chegue rapidamente "a bom porto". A "forte tradição" do município na indústria do calçado é um dos fatores de atratividade, admite, sublinhando que a nova fábrica "sempre ajudará a atenuar algum desemprego que possa surgir na região", por via da crise causada pela pandemia. Garante que, para já, não tem havido encerramentos de relevo na região, mas reconhece que as empresas se defrontam com "alguma falta de encomendas", o que poderá levar, se a situação pandémica se arrastar no tempo, a algumas dificuldades. "Para já, há um ou outro que fecha, mas a mão-de-obra é rapidamente absorvida", frisa.

Sobre o investimento associado, Emídio Sousa desconhece, mas admite que, entre o terreno, a construção e o equipamento necessário, "estaremos sempre a falar, grosso modo, em qualquer coisa como 10 milhões de euros".

Ilídia Pinto é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG