Premium Viajar de Portugal até à Guiné-Bissau para levar leite aos bebés órfãos

David queria envolver os jovens, especialmente os alunos, em projetos solidários. Rogério retraía-se na contribuição por não ter a certeza de que esta chegava ao destino. Juntaram-se e amanhã partem de Viana do Castelo para a Guiné-Bissau com leite de substituição para entregar num orfanato.

Dois amigos uniram esforços e convenceram outros amigos a apoiá-los numa viagem de Viana do Castelo a Catió, sul da Guiné-Bissau. Vão entregar leite de substituição materno num orfanato, a Casa da Mamé Ussai, para filhos de mulheres que morreram a dar à luz. Partem neste sábado às 09.30, com uma segunda paragem em Gondomar, prevendo chegar ao destino a 3 de março. Lá deixarão tudo o que levam, incluindo o jipe utilizado no percurso e que será transformado numa incubadora móvel.

David Freitas, de 44 anos,​​​​​​ professor de Informática, tirou uma licença de um ano sem vencimento. Há muitos anos que pensava criar um projeto que envolvesse os jovens, os alunos em particular. Teve uma ideia: comprar uma ambulância desativada, carregá-la de brinquedos e entregar às crianças de um país pobre, a que chamou Ambulance for Hearts. Mas conheceu a organização não-governamental (ONG) Na Rota dos Povos e percebeu que a ideia "era ridícula", que havia outras prioridades, como contribuir para diminuir a taxa de mortalidade infantil na Guiné-Bissau. Em mil crianças, 88 não completam os 5 anos, dados da UNICEF para 2016.

Ler mais

Mais Notícias